Pesquisa MDA/CNT de Julho 2015

Está insustentável o ambiente político e a economia no Brasil:

1. Só 7,7% acham o governo Dilma ótimo+bom. 70,9% acham ruim+péssimo. Esse é o pior resultado de um presidente do Brasil em pesquisas / 79,9% desaprovam a presidente Dilma.

2. Governadores: 25,3% os acham ótimo+bom e 27,3% ruim+péssimo / Prefeitos: 29,2% os acham ótimo+bom e 37,8% ruim+péssimo. Crise afetou a todos os que governam.

3. 55.1% acham que o emprego vai diminuir e 15% que vai aumentar / Renda: 33,7% que vai diminuir e 13,8% que vai aumentar / Saúde: Vai piorar 47,5% e 13,6% vai melhorar / Educação 41% vai piorar e 15,1% vai melhorar / Segurança 46,2% vai piorar e 12,9% vai melhorar.

4. Num segundo turno Lula teria 28,5% e Aécio 49,6% / Lula 32,3% e Alckmin 33,9% / Lula 31,8% e Serra 40,3%. Ou seja, Lula só teria apoio de menos de 1/3 dos eleitores.

5. Como governaria Aécio em relação a Dilma: Melhor 44,8%, Igual+Pior 47,4%. Resposta surpreendente.

6. 21,7% nunca ouviram falar na operação Lava Jato. 78,3% sim. As respostas em seguida se referem a estes 78,3% / Dilma é culpada 69,3%, não 23,7% / Lula culpado 65%, não 27,2%. Opinião Pública condena Lula igualmente / Culpados; Governo 40,4%, Partidos 34,4%, Empresas 17,7%. Opinião pública foca nos políticos a responsabilidade. / Para 67,1% não serão punidos, para 30% sim. /

7. Para 86,8% corrupção na Petrobras prejudica o pais / Para 52,5% governo federal não será capaz de combater corrupção na Petrobras. 37% em parte. Sim só 8%. / As prisões foram exageradas? Não 90,2%. Sim 7,4%. / Só 37,3% sabem o que é Delação Premiada. / Corrupção é o principal problema do pais para 37,4%.

8. 62,8% são a favor do impeachment/afastamento de Dilma. 32,1% contra / Razões para impeachment: Prestação de contas de Dilma 26,8%, Petrobras 25%, Contas de Campanha 14,2%. Todas as 3: 44,6%.

9. 50% tem medo de ficar desempregado e 43,7% não tem / 69,9% conhecem alguém que ficou desempregado nos últimos seis meses. / 40,8% aceitariam redução de salário para não perder o emprego / Essa crise ainda vai durar 1 ano 6,8%, 2 anos 25,5%, Mais de 3 anos 61,7%.

10. Principal crise é a econômica 60,4%, é a política 36,2% / Custo de vida vai aumentar muito 31,6%, Vai aumentar 44,3%. Ficar igual 18,7%. Diminuir 4% / Tem prestações em atraso? Sim 28,2%. Não 71,1%. / Onde estão seus atrasos? Cartão de crédito 42,1%, Crediário em Lojas 24,2%. Luz 23,7%. Água 15,4%. Telefone 11%. Carro 8,7%. Aluguel 7,3%. Casa Própria 3%, Plano de Saúde 1,8%. Mensalidade escolar 1,2%.

11. Maioridade penal. 70% em qualquer caso. 18% em casos graves. 10,2% Em nenhum caso. / isso vai reduzir a violência? Muito 37,4%, Parcialmente 40,2% / Não 20,6%.

12. Não Confia: Partidos Políticos 73,4%. Governo 56,2%. Congresso 51,6%. Justiça 24,8%. Polícia 23,5%. Imprensa 21,2%. Igrejas 11,7%.

Via Ex-Blog de Cesar Maia. 




Sobre os manifestos de entidades acadêmicas contra os cortes na educação

É triste ou irônico, não sei, ver manifestos de entidades acadêmicas contra os cortes na educação. A maioria dessas entidades apoiaram o atual governo na última eleição e acham, pelo que escrevem, que o problema é apenas o “ajuste fiscal”. Não admitem que apoiaram um engodo, uma farsa.

O que está acontecendo é apenas uma decorrência lógica para quem detinha um pouco de informação da realidade. O lema “pátria educadora” é apenas um slogan, e nada mais.

A pós-graduação e pesquisa acadêmica, no Brasil, está desmoronando, não apenas pelos cortes (um desastre!), mas principalmente pelo engajamento político-partidário de pessoas que deveriam colocar a verdade acima de tudo.

Em tempo: ontem recebi o comunicado de corte de 75% do Programa de Apoio à Pós-Graduação (PROAP). 


Aviso: os Correios estão atrasando

Acabei de receber este aviso de um sebo online, após ter feito a compra:

Prezado Cliente: Queremos deixar avisado que os Correios estão atrasando e, por isso, não estão cumprindo os prazos contratuais. Como não temos outras alternativas de envio, queremos que confirme que está ciente de tal situação. Pode ser que chegue no prazo, mas isso é uma incógnita, sobre a qual não temos como interferir.

 

Se há urgência no recebimento, não temos como garantir que receberá no prazo. Visto que isso naturalmente não depende de nossa vontade.

 

Se não concordar com a situação, basta nos dizer na sequência que podemos devolver o valor pago e cancelar o pedido.

Sou do tempo em que os Correios entregavam encomenda simples em 3 dias…



página 1 de 1601234567...152025...final »